Notícias


Bloqueio de conteúdos na INTERNET  (24 Março 2017)
A promoção de medidas de bloqueio na Internet promovidas por governos pode parecer por vezes algo apropriado. A ideia de defender os utilizadores de acesso não prevenido a formas de vigarice ou de prevenir o acesso a conteúdos ilegais parece a muitas pessoas uma medida aceitável. Na ordem do dia, situações como as das recentes notícias sobre o Jogo da Baleia Azul trazem à luz este tipo de soluções. No entanto, para além de situações muito particulares visadas por essas medidas, as práticas de bloqueio da Internet não encontram um consenso generalizado, podendo ser apenas a forma mais fácil de atacar certos problemas, mas, sobretudo, face a outras implicações sociais que tais medidas podem trazer.
Sobre este importante tópico que está na ordem do dia, sugerimos a leitura do seguinte artigo (whitepaper) diponibilizado pela INTERNET.ORG

> Internet Society Perspectives on Internet Content Blocking: An Overview


Implicações da IoT na INTERNET ABERTA E GLOBAL (17 Março 2017)
Em que medida o desenvolvimento da IoT e os seus modelos de desenvolvimento podem afectar a natureza global e aberta da Internet ?
Interessante reflexão de um painel promovido pela Internet Society reportada num artigo do IETF Journal, pág.7, edição de Março/2017.

> IETF Journal, Mar/2017

... Outros artigos interessantes neste mesmo número:
  • Que remédios para ataques passivos "Distributed Denial of Service" ? (pág 10)
  • Iniciativas para incremento de standards abertos com software aberto: caso da iniciativa IETF Hackalton (pág 22


Interessante artigo sobre a Internet of Things e os seus desafios (25 Janeiro 2017)

Segundo diversas fontes (baseado em documentos "leaked") a CIA desenvolveu um arsenal de ferramentas de "hacking" via dispositivos IoT das quais, apareentemente, perdeu o controlo. O IETF produziu um comunicado público sobre a questão:

Observations on the CIA revelations

Assim como outras organizações internacionais

Social and Ethical Behavior in the Internet of Things By Francine Berman, Vinton G. Cerf

A nova fase da governação da Internet 
(Celebrating the IANA transition and ICANN reforms)  (Novembro de 2016)

 Um avento de celebração da transição da recente reforma da ICANN com a presença de alguns dos actores principais.

Assistant Secretary Strickling will be the featured speaker at this event, receiving recognition for his persistent and principled commitment to putting “the global multistakeholder community” in charge of IANA and ICANN. The event will also feature remarks on the long term implications of the transition by a panel of experts, including Internet Architecture Board Chair Andrew Sullivan, Georgia Tech professors Milton Mueller and Peter Swire, the Internet Society’s Senior Policy Advisor Konstantinos Komaitis, and Verisign’s Vice President for public policy and government Keith Drazek.

Net Neutrality: Last Week Tonight with John Oliver 

As funções do ICANN e o contrato com o Governo dos EUA (Outubro de 2016)

A ISOC aplaude o Senado dos EUA por aprovarem a mudança das funções da IANA (Internet Assigned Numbers Authority), desempenhado pela ICANN para um modelo completamente multistakehoslder de gestão destas funções. Convém, no entanto, referir que na prática a raiz do DNS é gerida a partir dos EUA, pois:

"The A and J root servers are operated by Verisign, the B root is operated by ISI which is located in the US and has historically had a lot of government contracts, the C root is operated by Cogent which is located in the US, the D root is operated by the University of Maryland which is located in the US and I believe has significant government contracts, the E root is operated by NASA, a branch of the US government, the F root is operated by ISC which is located in the US, the G root is operated by the US Department of Defense, the H root is operated by the US Army and the L root is operated by ICANN which is in the US."

O que quer dizer não só que muitos dos servidores da raiz do DNS são geridos nos EUA, como por entidades que não têm interesse em entrar em conflito com o Governo, e portanto a não fragmentação do DNS está, no essencial, dependente do que o Governo dos EUA decidisse fazer. É esta consciência de que todos têm mais a perder do que a ganhar com o rompimento dos consensos que mantém a Internet de pé.

Nações Unidas condenam "Internet Shutdowns" (Julho de 2016)

Importante decisão. Mas vamos acompanhar a execução ...  Consulte o press release.

Save the Internet in Europe (Abril de 2016)

Apelo a favor da Net Neutrality e contra o zero ratting. Nos EUA, Indía e Brasil, os operadores já estão proibidos de fazer discriminação do tráfego para os clientes finais com base em pagamentos feitos pelos operadores de conteúdos. Essas proibições são essenciais para impedir o tipo de monopólios que conhecemos hoje em dia em muitos outros media. Na Europa o BEREC (associação de todos os reguladores de telecomunicações europeus) prepara-se tornar essa discriminação do tráfego legal. Isso tornará ainda mais fácil estabelecer o tipo de monopólios que as companhias cheias de músculo financeiro naturalmente tentam estabelecer.

Informem-se aqui (o vídeo é muito claro) e assinem a petição.


Comments